quinta-feira, 12 de abril de 2012

Budismo no Malhão (Algarve)




Se não tivessem lido o título deste post aposto que alguns de vocês pensariam que eu devia estar a passar férias nalgum país do oriente....mas não... (infelizmente) não estou de férias e muito menos num desses destinos idílicos (mas que sonho, diariamente, acordada...hahaha).

Mas quem podia imaginar que existe um retiro budista em plena Serra do Caldeirão, no Algarve?


Numa tarde de um domingo primaveril, Domingo de Páscoa, após termos estado com a família fomos passear até perto de Salir, mais concretamente ao Malhão para observarmos o Centro Budista Tibetano. Este fica num sitio ermo, um espaço lindo com vista a 360º para o horizonte (de onde até se pode ver o mar), sendo o segundo local mais elevado do Algarve (o mais alto fica na Fóia, Serra de Monchique), com quase 600 metros de altitude.


Vista para o litoral


O Budismo rege-se por várias crenças baseadas nos ensinamentos atribuídos a Siddhartha Gautama (designado, também, como Buda) e desenvolvidos no nordeste da India, nos séculos XV a. C e IV a.C. Difundido no Sri Lanka e sudeste Asiático, esta é a quinta maior religião do mundo, com 230 a 500 milhões de pessoas em todo o mundo.

Fundado em 1982, o centro Humkara Dzong é um centro de estudos e prática do budismo tibetano e pode ser visitado por qualquer pessoa, independentemente das suas crenças religiosas. Está aberto todos os dias do ano e a entrada é gratuita e livre, apesar de existirem algumas recomendações (existentes na entrada do mesmo, conforme foto abaixo). Apesar de não ser proibido, deve-se evitar a entrada de veículos motorizados. Também é estritamente proibido fumar, consumir alcool, drogas e colher plantas.




Neste local de paz só são permitidas visitas ao longo do caminho superior, na área circundante ao Stupa e antigo moinho (torre branca), sem guia.

O Stupa é o monumento religioso central, local de adoração e que contém relíquias sagradas. Considerado como o mais antigo monumento da religião Budista.
Sendo um elemento extremamente positivo, aconselha-se andar à volta dele, no sentido dos ponteiros do relógio formulando votos para a paz mundial, para o bem estar dos nossos entes queridos e o bem estar de todos os seres vivos em geral.





A base quadrada representa o elemento terra, a cúpula hemisférica a água, o pináculo cónico o fogo, o guarda sol de lótus e a lua crescente o ar, sendo que o sol e o ponto de dissolução representa o espaço.







Nesse local, fazem-se orações e colocam-se oferendas, tradicionais, resultantes de antigos costumes indianos quando se recebiam convidados especiais em casa. Estão dispostas, num pequeno altar, várias taças de água, alimentos e outros elementos, com a função representativa de afastar os obstáculos e adversidades de todos os seres vivos. Por exemplo, a lamparina representa a luz e a sua função consiste em afastar a escuridão da ignorância.





Uma das coisas que mais me despertou a atenção foram as várias bandeiras coloridas, já vistas em algumas fotografias do Tibete.  Estas remontam ao século XI, no Tibete, quando o mestre Indiano Atisha ensinou aos seus discípulos como imprimir orações ou mantras (poemas religiosos) sobre pedaços de tecidos, fixadas em mastros ou cosidas a cordas e esticadas, entre dois pontos, que ondulam livremente ao vento.




Antes de deixar o centro não pude deixar de admirar a bonita flora local (e claro que não resisti a deixar aqui uma foto de alfazema).






Para mais informações contactar:

Centro de Budismo Tibetano Ogyen Kunzang Chöling, Malhão (Algarve)
Humkara Dzong
Moinho do Malhão, Salir
8100 Loulé
Telefone: +351-289489062
E-mail: hd@okc-net.org
Site: http://www.okc-net.org

Coordenadas (GPS):
Latitude 37º18 '00.11''N
Longitude 8º06 '03.93''O

17 comentários:

  1. gostei de ver o seu post q vou recomendar no blog da ubp http://uniaobudistaportuguesa.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. Olá estive neste local onde também me encantei, tirei algumas fotos mas não ficaram boas. Se me permite irei utilizar uma ou duas no meu facebook para apresentar aos meu amigos. Obrigado e espero que viaje muito nos encantos do nosso planeta. Desejo-lhe a continuação de um bom ano.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia Rui! Com certeza que pode utilizar algumas das minhas fotos no seu facebook e se possível mencione também o meu blog. Desde já obrigada pelo seu contributo e um feliz ano de 2013.

      Eliminar
  3. Eeeeh....passo por lá varias vezes, quando vou visitar os meus sogros. E estive lá em 1999, mas a forma como descreves é espectacular.
    Fico com vontade de ir passear contigo para ver como vês tudo ...ao pormenor....
    Bj

    ResponderEliminar
  4. Obriaga.... de facto é muito dificil encontrar informação acerca desse espaço .... :)

    ResponderEliminar
  5. Local onde eu cresci junto com a família e a restante comunidade. Algo que nunca esquecerei. Obrigado Lama.

    ResponderEliminar
  6. Alguém me pode dizer se é possível permanecer neste local alguns dias em retiro.
    Obrigado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Anónimo,

      Ligue s.f.f. para o número de telefone acima indicado para lhe darem mais informações. Obrigada.

      Eliminar
  7. Tentei ir não encontrei,pouca informação do sitio, vou tentar este ano
    !

    ResponderEliminar
  8. Hoje estive no malhao e fiquei feliz em ver a ser tudo pintado para o regresso dos monges novamente.

    ResponderEliminar
  9. Ainda bem que quem chega até aqui fica encantado..........
    so me permite dizer que a tal flore me parece mais alecrim mas realmente seria muito bom haver por ai campos d'alfazema como na Provença do Sud de França, seria mais bonito do que aqueles arvores mortos espalhados a volta do Malhao.........mas desde os incêndios de 2014 pouco se fez para desenvolver um bom turismo de natureza na serra

    ResponderEliminar
  10. Em termos de viagem de faro ate la ha transportes para la?

    ResponderEliminar
  11. Ainda não conheço o local,mas hoje num programa da tv que vi deixou-me muito curiosa daí vir procurar na net, sem duvida que assim que for ao Algarve irei visitar,preciso tanto dessa paz que se vive ali.Um bem-aja a quem nos proporciona tudo isso...

    ResponderEliminar